17 de junho de 2015

Cinto de segurança ainda é negligenciado


Apesar de quase duas décadas de obrigatoriedade, equipamento não é rotina de todos, sobretudo, no banco traseiro

      Em 2015, a obrigatoriedade do uso do cinto de segurança completa 18 anos no Brasil. Ela surgiu junto com a promulgação do novo Código de Trânsito Brasileiro, em setembro de 1997. A Lei 9.503/97 é explícita, todos os ocupantes do veículo, motoristas e passageiros na frente ou atrás, devem usar esse equipamento de segurança, que salva vidas e reduz a gravidade das lesões.
      Mas depois de quase duas décadas, a Lei parece ter convencido só parte da sociedade. No banco da frente, é comum o uso do equipamento sem ressalvas por parte do motorista e passageiro, mas no banco traseiro o desrespeito às regras é rotineiro. Campanhas não faltam sobre o tema e basta uma saída às ruas para perceber que nem sempre elas têm surtido efeito. Certeza de que o tema precisa ser abordado cotidianamente, pois envolve muito mais mudança de hábito do que acesso à informação.
      A impressão que se tem é que só não usam o cinto de segurança pessoas que desconhecem a sua importância - impressão falsa, puro “achismo”. A realidade prova isto. Um exemplo recente e contundente foi da morte do Nobel de Economia (1994), o matemático John Nash, de 86 anos e da sua mulher, Alícia em New Jersey, nos Estados Unidos, no dia 23 de maio passado. O casal estava num táxi, no banco traseiro, sem o cinto, quando sofreu um acidente. O taxista e o motorista do outro veículo envolvido no acidente se salvaram.
      Nash inspirou o filme Mente Brilhante (2001), vencedor de quatro Oscar (melhor filme, diretor, roteiro adaptado e atriz coadjuvante), estrelado por Russel Crowe. O matemático ficou mundialmente conhecido pelo seu trabalho com a matemática, na teoria dos jogos e a sua luta contra a esquizofrenia.
Exemplos como este servem para ressaltar que o tema não pode sair de pauta, pois ainda falta muito para uma conscientização plena de toda a sociedade.
      Um dos pilares de trabalhos do ONSV (OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária) é a educação e há anos este tema, o uso do cinto de segurança por todos os ocupantes do veículo, é uma das suas principais bandeiras. O primeiro vídeo educativo da série “Programa Observar” trata exatamente desse tema. 

fonte: http://www.onsv.org.br/ver/-774 

0 Comentários :