17 de julho de 2014

Calçada é lugar de pedestres, não jogue entulho, não estacione, não brinque; não deixe lixo; cuide da sua calçada, ela é de todos.



Crônica publicada no jornal "O Diário" de Campos dos Goytacazes, RJ, em 1 de fevereiro de 2013.
   Trânsito é a utilização das ruas e estradas por pessoas, veículos e animais, isoladas ou em grupo, conduzidos para fins de circulação, parados em estacionamentos ou realizando carga ou descarga. Assim fazem parte do trânsito tanto o homem como o veículo e a via. Quando nós andamos a pé, de bicicleta ou até mesmo a cavalo ou de carroça também fazemos parte do trânsito, e desse modo, fica claro que o trânsito surgiu bem antes do automóvel. Acontece que o trânsito ficou mais agitado e mais difícil com a presença dos veículos.
   Os automóveis surgiram na história da humanidade, para resolver os problemas de locomoção e transportes e mudar significativamente a vida das pessoas, pois eles encurtam distâncias, facilitando as coisas, contudo trazem alguns problemas. Realmente, o trânsito já faz parte de nossas vidas, mas, infelizmente, a importância dada a este assunto não parece tão grande.
   Parece que já nos habituamos a ouvir essas notícias sobre os acidentes diários, e como na maioria das vezes não conhecemos as pessoas que morreram tudo cai no esquecimento e não sabemos mais nada sobre o que o noticiado. São muitas as pessoas que morrem em acidentes, principalmente nos feriados prolongados. A pressa de chegar ao destino, a bebida alcoólica ingerida momentos antes de dirigir, a desatenção ao volante, as ultrapassagens em áreas proibidas, os carros em péssimas condições de uso, estradas esburacadas, enfim, tudo leva a acidentes horríveis, muitas vezes, com crianças sendo vítimas de adultos irresponsáveis.
   Mesmo existindo um Código de Trânsito bem explícito, muitos motoristas e pedestres não seguem as leis e causam graves acidentes de trânsito, levando pessoas à morte. E aí eu me pergunto: o que falta? Educação no trânsito? Pelo que se vê pelas ruas o que acontece é uma grande falta de consciência de muitos motoristas. Mas não basta sinalizar as vias públicas, ou colocar radares nas avenidas, é preciso educar as pessoas para o trânsito e que o motorista seja consciente de sua responsabilidade. Os pais, ao saírem de casa com seus filhos no carro, devem agir com responsabilidade, respeitando as leis do trânsito e passando isso a seus filhos. É necessário por um fim a esses acidentes diários, que de forma estúpida pode nos estar privando de futuros médicos, brilhantes cientistas ou atletas.
   O comportamento dos adultos influencia as crianças e como todos nós, em dado momento, somos pedestres, cedo ou tarde nossos filhos e netos serão condutores de veículos. Sabemos que o exemplo vindo de um adulto vale mais do que muitas palavras e as crianças têm grande facilidade em aprender aquilo que veem. Portanto, temos que deixá-las ver o que é correto.   
   Nossas atitudes são copiadas pelos nossos filhos e netos, então não é difícil educar para o trânsito, basta nós mesmos pararmos de infringir as leis. Já notaram como certos motoristas, de todas as classes sociais, ao ver pessoas cruzando as faixas de pedestres pelas ruas da cidade, aceleram, talvez pensando que elas fossem piões de uma pista de boliche? Triste isso!

http://albertofioravanti.spaceblog.com.br/2330377/A-falta-de-educacao-no-transito/

0 Comentários :