3 de junho de 2014

CET no seu Bairro - EMEF Desembargador Achilles de Oliveira Ribeiro

      O projeto Caminhada da Cidadania é uma parceria entre SME e SMT/CET, e é uma das ações educativas propostas pelo Projeto CET no seu Bairro.
      As questões relativas à circulação urbana nas grandes metrópoles estão hoje na pauta de discussões de diversos setores da sociedade. É importante que os jovens se reconheçam como protagonistas das mudanças necessárias para a construção de um trânsito mais humano e sustentável. 
      Os objetivos são incentivar alunos e professores a observar o espaço público - entorno da escola - com um novo olhar, mais atento e perspicaz e perceber-se como pertencente e participante do bairro enquanto espaço público e protagonista da construção de uma cidade mais humana.
      O público alvo são alunos e professores do 9º ano do ciclo autoral/ fundamental II, das Escolas Municipais.
      Após pesquisas sobre o tema, os alunos realizam uma Caminhada pelo entorno da escola para observação e preenchimento do roteiro de observação e registros de fotos e vídeos. Ao final, elaboram um diário de bordo.

Centro de Treinamento e Educação de Trânsito - CETET
Departamento de Educação para Estudantes - DEE
Tel. 3871-8608  Fax. 3871-8850 - e-mail: dee10@cetsp.com.br


Caminhada da Cidadania ocorrida com alunos da EMEF Desembargador Achilles de Oliveira Ribeiro em em 20/05/2014

Rosmeiry Tanaka Costa - Coordenadora Pedagógica 

RELATO DE OBSERVAÇÃO:
Há  falta de condições para andar sobre as calçadas do bairro Jd. IV Centenário pelo fato de possuir mato, entulho, fezes de animais, o mau cheiro que nos incomoda. Os aparelhos de exercícios das praças estão em más condições. Encontramos alguns fios soltos pelas ruas, gerando risco aos cidadãos. As escolas estão sendo vandalizadas com pichações, cercas quebradas e caídas, assim como em algumas casas e comércio.





      Notamos que há falta de semáforos, muita poluição sonora, pouca sinalização para veículos e pedestres e falta de faixas de segurança: algumas placas estão derrubadas, algumas travessas sem semáforo, outras placas com os nomes de ruas em más condições.
      Todo cidadão tem direitos e deveres. As condições para pessoas deficientes são de baixa qualidade (...) as calçadas esburacadas, entulhos e com relevo entre uma e outra. Também há dificuldade de as pessoas atravessarem as ruas.
      Assim como os motoristas cometem erros, os pedestres também. Eles não respeitam os semáforo e a faixa, atravessam em qualquer local sem olhar ou respeitar os veículos. O espaço não é apropriado, as calçadas não estão adequadas aos pedestres e também a deficientes visuais ou físicos, já que não há segurança para eles.




      As sinalizações das vias estão apagadas, muitas vezes os motoristas não respeitam os pedestres nem mesmo outros motoristas; ocupam grande parte das vias e às vezes estacionam em locais impróprios.
      Os ciclistas tem sua passagem obstruída pelos carros, algumas caçambas de lixo (...) E não usam equipamentos devidos ou são utilizados em péssimas condições. Muitas vezes passam desesperadamente sem respeitar sinalizações nem os pedestres, parecem não ter medo de morrer pela falta de proteção e comportamentos inadequados dos motociclistas. Estes geralmente são os acidentados nas vias pela falta de cuidado com a segurança.
      É preciso mudar a forma de conviver com o outro, acabar com a desigualdade, ter mais solidariedade, preservação da cidade, espaço público mais adequado, mais segurança, menos poluição nas ruas, melhoria da saúde e na educação, ou seja, ter um país mais justo e uma população consciente do que está cometendo.

Alunos: Júlia Beatriz Santos Sobrinho, Larissa dos Santos, Ingrid dos Santos, Jaine Sousa de Almeida, Sarah Eduarda M. Egídio, Patrick Xavier Cury, Igor Zilli de Lima, Milene dos Santos e Bárbara Aparecida L. Conti– 9º ano B.






0 Comentários :